blogsteiras

22 de dezembro de 2008


Caramba, tinha esquecido como é chuva em São Paulo.. Acostumei com o Rio onde garoa (que eles não sabem o que é) é chuva, chuva é temporal e temporal é algo que só acontece na baixada. Lá quando chove forte dá até pra tirar a poeira do carro, mas não a maresia. Pelo menos onde moro.
Mas no velho SP a coisa assusta. Hoje mesmo, seguindo para a casa do filhão, estava mais de olho naquele negrume no céu se aproximando do que no trânsito. Foi o tempo certo de chegar, correr pra dentro da casa e São Pedro (que deve ter alguma diferença com São Paulo) mandar água.

E ele leva isso à sério. Vendaval lembrando os filmes americanos com tempestades tropicais (vide Mega Desastres no Discovery), chuva em todas as direções (até pra cima), raios e trovões que fazem Pedrão abrir o berreiro e para completar a cena, granizo... Bolinhas de gelo criando uma batucada de dar inveja a escola de samba.

Só não entendo bem as medidas de precipitação dada pelos meteorologistas. Dizem que caiu 25mm de chuva, mas o tanque feng chui da casa do Xu e da Dé (e do Pedro, é claro) encheu pelo menos até a metade. Se isolar o metro quadrado que é usado nas previsões, choveu pelo menos 25 cm e não mm.

Claro que depois da tempestade vem.. vem.. como é mesmo o ditado? Ah, sim.. vem o congestionamento! Percurso de 10 minutos até em casa se transformou em 40 e agradecendo aos céus que até que não foi muito..

Ainda bem que moro no cocuruto do bairro senão teria que pensar seriamente em trocar o carro por uma carona na arca do Noé.


Padu |

Home